...

Falando de amor, de família,
de escolhas, de paixão por papel, do gosto por cozinhar,da alegria de pintar, do prazer de estar com amigos e da felicidade de fazer o que gosta.


Lilypie Kids Birthday tickers

Lilypie Kids Birthday tickers

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O que é um menino?
Alan Beck




Entre a inocência da infância
e a compostura da maturidade
há uma deliciosa criatura chamada MENINO.





Embora se apresentem em tamanhos,



pesos e cores sortidos, todos os meninos
têm o mesmo credo; aproveitar cada segundo
de cada minuto de todas as horas de
todos os dias e protestar ruidosamente...



O barulho é sua única arma
quando seu último minuto é decretado
e os adultos os empacotam e os metem na cama.




Meninos são encontrados em todas as partes:

em cima de,



embaixo de,



dentro de,
subindo em,



balançando-se no,
correndo em volta de,
pulando...

As mães os adoram,
as meninas os odeiam,
irmãos e irmãs mais velhos os suportam,
adultos os ignoram,
o céu os protegem...

Um menino é a Verdade com o rosto sujo,
a Beleza com um corte no dedo,
a Sabedoria com um chiclete no cabelo,
a esperança do futuro com uma rã no bolso...









Quando você está ocupado, um menino
é uma conversa-fiada, intrometido e amolante.







Quando você deseja que ele cause boa impressão,
seu cérebro vira geléia, ou ele se transforma
em uma criatura sádica e selvagem empenhada
em desmontar o mundo ao seu redor.



Um menino é um híbrido:
o apetite de um cavalo,
a disposição de um engole-espadas,
a energia de uma bomba atômica de bolso,
a curiosidade de um gato,
os pulmões de um ditador,
a imaginação de um Júlio Verne,
o retraimento de uma violeta,
o entusiasmo de um bombeiro
- e quando se mete a fazer alguma coisa
é como se tivesse cinco polegares em cada mão...









Gosta de sorvete,
canivetes, serrotes,
pedaços de pau, bichos grandes,
água (no seu "habitat" natural),
papai, sábados, domingos e feriados,
mangueiras de água.

Não é partidário de catecismo,
escolas, livros sem figuras,
lições de musica, colarinhos,
barbeiros, meninas, agasalhos,
adultos e "hora de dormir"...











Ninguém se levanta tão cedo,
nem chega tão tarde para o jantar.
Ninguém se diverte tanto com árvores, cachorros e mosquitos.
Ninguém mais é capaz de meter num único bolso
um canivete enferrujado,
uma maçã comida pela metade,
um metro e meio de barbante,
um saco de matéria plástica,
duas pastilhas de chiclete,
três notas de um real,
um estilingue,
e um fragmento de "substância ignorada".

Um menino é uma criatura mágica:
você pode mantê-lo fora do seu escritório,
mas não pode expulsá-lo de seu coração.
Pode pô-lo para fora da sala de visitas,
mas não pode tirá-lo de sua mente.
Queira, ou não, ele é seu captor,
seu carcereiro, seu dono, seu patrão,
um cara sarapintado, um nanico,
um mata-gatos, um pacote de encrencas...









Mas quando a noite você chega em casa,
com suas esperanças e seus sonhos reduzidos a pedaços,
ele possui a magia de soldá-los em um segundo,
pronunciando duas palavras somente:

"Oi pai... Fala mãe !!!
video

Bjs da Família












quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Educassão.

Oi,gente!
Recebi um e-mail hj, com um texto tudo de bom.
Quem conhece, minha vida sabe que tive um filho aos 42 anos por pura opção e desejo meus e de meu marido.
Essa coisa de mãe-avó é conversa fiada. Todas as pessoas que tem um pinguinho de consciência do q é a responsabilidade de ter um filho sabe disso. E sabe tb q não é a idade q importa , mas sim maturidade emocional. Sentimentos bem resolvidos, vida bem vivida.
Vivi uma ótima vida de solteira. Fiz o q queria, qndo queria. Marcello tb. Além de termos tido experências anteriores q nos ensinaram bastante.
Hj queremos ter uma família.
Essa é nossa prioridade.
Quando recebi esse e-mail, tive vontade de postar sobre isso, ou melhor, sobre o q penso sobre isso. Sem pretensões de qquer espécie. Apenas desabafo.
Nós somos nossas escolhas, não tenho dúvidas.
Não adianta querermos responsabilizar o mundo pelas consequências de nossos atos, nessa ou em existências anteriores. As vezes chego à pensar, q algumas pessoas se recusam a acreditar em reencarnação, para não aceitarem essa responsabilidade. Em tempo: não é definitivamente uma crítica a escolhas religiosas.O respeito às religiões, é um dos valores q aprendi bem cedo: procuro não fazer aos outros, o q não gostaria q fizessem comigo.
Mas vamos lá, não consigo entender algumas pessoas q acham q educação é responsabilidade da escola.
Pensamos aqui em casa, q somos parceiros, nós e a escola. Parceiros q se respeitam, mas principalmente, q tem liberdade de discussão. Interação é uma palavra atualíssima. E foi inventada pra ser usada.
Um exemplo : sou Espírita, sigo a Codificação de Kardec da Doutrina dos Espíritos.
Deus é meu Pai e Jesus meu Irmão Maior. Isso ensino todos os dias ao meu filho.
A escola q escolhemos, alías depois de muito tempo dedicado à pesquisa de todas as opções q tinhamos - afinal era para uma pessoa muito especial - foi uma escola religiosa. Não Espírita. Adventista.
Penso q a escola hj, tem de ter uma preocupação fundamental: a de sempre reascender valores essenciais. Reascender, pq pensamos aqui em casa q ensinar é unicamente tarefa dos pais. Nunca tive problemas qnto ao ensino religioso. Nunca foi imposto nada ao meu filho, em relação à religião ou qquer assunto relacionado. E olha q sou uma mãe realmente presente na escola. Mesmo pq deixei claro q ele será criado dentro dos meu conceitos, até poder escolher qual religião seguirá. Sem interferência nenhuma de nossa parte e nem de ninguém. Apenas baseando na bagagem q terá para isso. Preparamos nosso filho para fazer suas próprias escolhas. E a escola acompanha nossa vontade sem problemas.
Aí vem um ponto q acho bom pensarmos. Não escolhemos a escola pq o vizinho indicou ou pq a tia ensinava lá. Escolhemos pq conhecemos e achamos q seria ideal para nosso menino.
Isso levou tempo, tive q sair do consultório mais cedo, várias vezes,para acompanhar os horários de saída das escolas, pra ver como era a disciplina. O Marcello teve q trocar tb seus horários para adequar aos meus horários e aos q as diretoras nos disponibilizavam....e faziamos questão de visitar as escolas juntos, pq somos uma família.
Vimos ótimas escolas. E escolhemos a q seria melhor para o Heitor.
Isso pode ter nos trazido alguns prejuízos profissionais, sem dúvida. Mas nos trouxe tb grande estabilidade futura.
Afinal, queria uma escola, onde meu filho fosse pelo menos até o ensino fundamental, sem trocas, para não prejudicar sua socialização. Ele tinha apenas 1 ano e 10 meses no seu primeiro dia de aula.
Sua primeira professora, foi tão assediada, q acabamos amigas. Eu queria sempre saber o q acontecia com ele fora do seu ambiente e ela era a pessoa mais indicada pra me contar. Isso acabou se tranformando numa ótima parceria.
Uma vez, no 2º período, meu filhote começou a chegar em casa reclamando q estava apanhando de um coleguinha. As vezes até chegava com umas manchinhas mesmo. Depois de perceber q não era dengo, fui até a professora saber o q acontecia. Ela me disse q o amiguinho era muito maior q os outros, e qndo brincava acabava machucando sem querer. Numa próxima queixa, perguntei pq tinha se machucado. Ele me respondeu q foi "lutando". Pedi a ele(o q foi tempo perdido) q não brincasse mais de luta, e q seus problemas com o coleguinha ele deveria resolver. Muita gente deve achar absurdo falar isso com uma criança de 2 anos. Um amigo, em quem confiamos muito, e nos auxilia com sua experiência de psicólogo na educação do Heitor, me disse uma vez: "Jamais subestime uma criança. Nunca pense q ela não é capaz de te entender".
Pura verdade. Na semana seguinte, o amiguinho supostamente malvado, se tornou o melhor amigo. Vem sempre brincar até hj e o relacionamento deles é ótimo.
Não poderia acostumar meu filho com nossa interferência em sua defesa. Hj é o fulano, amanhã vai ser o beltrano e assim por diante...E nem sempre poderemos estar por perto.....Acreditamos q ele deve aprender a se defender. Com respeito, sempre.
Acreditamos tb q seja sempre o momento certo para ensinar...nunca cedo. Até os 7 ou 8 anos, ainda temos muita influência, mas depois....
Outro ponto q acho muito importante: não podemos escutar tudo q nos dizem. Derrepente todo mundo se transforma em especialistas em criação de filhos e tem milhares de conselhos pra gente. Cada um dizendo uma coisa diferente.
Penso q devemos escolher uma linha e pronto. É claro q a intransigência é um grande erro e o bom senso é o maior companheiro. Buscar o equilíbrio é sempre bom. Nada está definitivamente pronto e é claro q críticas e opiniões são sempre bem-vindas. O q não concordo é que nos deixemos levar pela onda do momento....
Outro dia, uma mãe me dizia q ia mudar o filho de escola, pq ele estava indisciplinado e falando muitos palavrões, q achava a professora muito parada e seu filho não tinha aprendido nada. Fiquei surpresa, pq acho a professora ótima, meu filho nunca disse um palavrão, apesar de ouví-los com certa frequência, quando joga o Vasco....com seus 4 anos, já lê quase com a fluência de um adulto, conhece muito de informática, joga video game e futebol como campeão, é educado, fala o português corretamente, sabe contar até 100 e conhece números de até 3 dígitos. Não me deu trabalho para deixar a chupeta, nem as fraldas. Só não dorme sózinho, pq faço o Marcello buscá-lo no meio da noite, pq morro de saudades do cheirinho dele....um pecadinho só....e olha q recebo muitas reclamações dele qndo acorda no meu quarto.....toma banho sózinho, e muito bem. Conhece nossa moeda, sabe fazer pequenas somas e subtrações. Acha um saco fazer tarefas da escola e troca qquer coisa no mesmo minuto em q um amiguinho grita no portão.
Isso só pra mostrar q ele não é uma criança diferente. Ele só é especial pra nós, pq é nosso. E td isso aprendeu pq quiz. Pergunta o tempo todo como toda criança. A diferença talvez seja, pq paramos td para explicar suas dúvidas, resolver suas inseguranças, desmistificar seus medos, encaminhar suas frustrações...
Não esperamos q a vida ou a escola o faça.
Tomamos banho de chuva, enquanto conversamos sobre a água no mundo....q se disperdiçar, os filhos de seus filhos não terão o q beber.
Deitamos no quintal a noite, para ver as estrelas, enquanto falamos q a terra é nossa casa e como tal deve ser sempre limpa e conservada.
Ficamos a tarde, no domingo, várias vezes, sentindo o sol e o vento no rosto de olhos fechados , enquanto falamos de Deus , da sua bondade infinita e da nossa responsabilidade com tudo o q nos esta emprestado.
Saímos na noite de Natal, para confortar os q hj detém menos q nós, sem demagogias, juntos, pq acreditamos na força do exemplo. Mas esperamos Papai Noel trazer o presente pedido.
Jamais mentimos na frente do Heitor. Nem as mentirinhas brandinhas.
Ele guarda seus brinquedos e suas roupas quase sempre sem precisar mandar , pq aprendeu, q ninguém, além dele, é reponsável pelos seus atos.
Ficaria aqui dias, divagando sobre o q penso sobre isso, e contanho as façanhas do meu heróizinho....
Não sei o q meu filho será, ou se algum dia ele ganhará muito dinheiro.
O educamos para q seja feliz. Só.
Não pensamos em lhe deixar nada além da sua formação. Intelectual, religiosa e principalmente moral.
Com sua educação intelectual, q fazemos questão de dar-lhe a melhor q podemos, sempre sem sacrifícios, pensamos q poderá conseguir o q quiser. Vai ter proporcionalmente a sua vontade e esforço.
Todo o dinheiro q hj ganhamos, vai para vivermos bem e aproveitarmos nosso tempo juntos, pq nunca sabemos qnto ainda nos resta.
Sei, por experiência própria, q as melhores recordações de nós q ele terá serão esses momentos. Nunca o quanto deixamos pra ele no banco.
Muitos devem estar rindo de nós...talvez vivamos uma utopia...pode ser.
Amanhã.... só Deus sabe.
Mas hj, temos a certeza de q seus professores devem fazer seu trabalho . É uma profissão nobre, sem dúvida. Mas é um trabalho, não uma carga. E nós, pais, temos a obrigação de auxiliá-los nessa tarefa. Pq até mesmo eles sabem q a mais nobre de todas as profissões ainda é a nossa. E ao contrário deles, somos muito melhor remunerados. Recebemos sempre na medida q damos.
D. Lourdes, dizia uma coisa q cabe bem aqui: " Quem pariu Matheus, q o embale...."
E como toda melhor mãe do mundo q se preze, mais uma vez... ela estava certa.

Bjs da Família

Texto do e-mail: Educassão -
A Evolução da Educação

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia....
Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas
Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes
de iniciar as aulas...

Leiam relato de uma Professora de Matemática:

Semana passada comprei um produto que custou R$15,80. Dei à balconista R$ 20,00
e peguei na minha bolsa 80 centavos, para evitar receber
ainda mais moedas. A balconista pegou o dinheiro e ficou olhando para a máquina
registradora, aparentemente sem saber o que fazer.

Tentei explicar que ela tinha que me dar 5,00 reais de troco, mas ela não se
convenceu e chamou o gerente para ajudá-la. Ficou com lágrimas nos olhos
enquanto o gerente tentava explicar e ela aparentemente continuava sem
entender. Por que estou contando isso?

Porque me dei conta da evolução do ensino de matemática desde 1950, que foi
assim:

1.. Ensino de matemática em 1950:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a
4/5 do preço de venda. Qual é o lucro?

2. Ensino de matemática em 1970:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é igual a
4/5 do preço de venda ou R$80,00. Qual é o lucro?

3. Ensino de matemática em 1980:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é
R$80,00. Qual é o lucro?

4. Ensino de matemática em 1990:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é
R$80,00. Escolha a resposta certa, que indica o lucro:

( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

5. Ensino de matemática em 2000:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$ 100,00. O custo de produção é
R$80,00. O lucro é de R$ 20,00.

Está certo?
( )SIM ( ) NÃO

6. Ensino de matemática em 2009:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$
80,00.Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00.
( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

7. Em 2010 vai ser assim:
Um lenhador vende um carro de lenha por R$100,00. O custo de produção é R$
80,00. Se você souber ler coloque um X no R$ 20,00. (Se você é afro
descendente, especial, indígena ou de qualquer outra minoria social não precisa
responder)

( )R$ 20,00 ( )R$40,00 ( )R$60,00 ( )R$80,00 ( )R$100,00

E se um moleque resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele
pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou
traumas na criança.

Em 1969 os Pais do aluno perguntavam ao "aluno": "Que notas são estas...???"

Em 2009 os Pais do aluno perguntam ao "professor": "Que notas são estas...???"

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável:
"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"
Precisamos começar JÁ!
Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo
vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos,
inclusive em respeitar o planeta onde vive..."